domingo, 30 de agosto de 2015



Capucheta

A Capucheta pode ter outras variações de nomes em outras regiões do Brasil.No dicionário a palavra capucheta não existe, mas é algo próximo da palavra capucha (consta no dicionário), que dentre outras definições quer dizer capuz.A capucheta se assemelha a um capuz. É feita de qualquer papel, inclusive jornal e não tem tamanho definido.  Pode ser pequena, ou grande. É muito simples e não requer nenhum material que não esteja ao alcance das mãos,neste caso nos usamos folhas de sulfite brancas e pintamos com canetinhas,lápis e giz de cera.










sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Ação Família

A professora Renata ( De pé) faz a mediação entre a Palestrante Josilda do Nascimento
e as participantes do encontro.





                   O Ação Família é um projeto da EMEF Jose Honório Rodrigues em parceria com a Fundação Tide Setúbal que promove a cidadania entre os moradores da região por meio das famílias dos alunos da unidade.O projeto existe desde 2013.A integração entre escola e comunidade, até o momento , tem-se mostrado muito proveitosa,as respostas dos participantes são sempre positivas. São palestras estimulantes com temas que envolvem a saúde física e mental e instigam o desenvolvimento pessoal dos participantes. Na última quinta-feira dia 13 de agosto o Ação Família debateu o tema Habilidades e Trabalho,para tanto,recebemos a visita de Josilda do Nascimento uma Microempreendedora que após um curso de culinária feito por meio da parceria do Instituto Lojas Renner e a Fundação Tide Setúbal mudou drasticamente os rumos de sua vida tornando-se mesmo garota propaganda das ações sociais do Instituto dentro  das lojas Renner.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Apresentação no CEU Vila Curuçá
Grupo Treme Terra homenageia cultura afro-brasileira com espetáculo “Terreiro Urbano”.


     No último dia 19 de agosto os alunos da EMEF José Honório Rodrigues ,como parte das comemorações da Semana da Cultura Brasileira promovida anualmente na unidade, assistiram ao espetáculo do Grupo Treme Terra intitulado Terreiro Urbano.Fruto de uma criação coletiva, o espetáculo conta com a direção geral de João Nascimento, músico e pesquisador da cultura afro-brasileira, e do coreógrafo Firmino Pitanga. Em palco, os bailarinos fazem a representação simbólica de um xirê, cerimônia tradicional de saudação e exaltação a todos os orixás, ou seja, uma sequência de danças do candomblé, que começa com Exu e finaliza com Oxalá.A sonoridade do espetáculo aproxima os cantos tradicionais à música contemporânea, à medida que conseguem mesclar sons de tambores tradicionais (atabaque, agogô, xequerê, adjá, berimbaus e surdos) e tambores de sucatas (tonéis de lata, conduítes, ferros e garrafas) com instrumentos convencionais (flauta, violoncelo, violão e violino) até instrumentos eletrônicos (teclado e processadores digitais).O Grupo Treme Terra foi fundado em 2006, no Morro do Querosene, no bairro do Butantã, em São Paulo. Os integrantes trabalham com a valorização e difusão da cultura afro-brasileira, por meio de oficinas de formação artística, voltadas para jovens. 









                                          


Semana da Cultura Brasileira 2015 


        













Isabel Rueda Contadora de Histórias faz a alegria das crianças na sala de leitura.